domingo, 28 de dezembro de 2008

Blogagem Coletiva - Interlúdio com Florbela

UMA FESTA PARA FLORBELA!
.
.

..
Este Blog foi criado para postar todos os posts de todos os Blogs que participaram da homenagem a essa divina poetisa no dia 8 de dezembro, data de seu nascimento. Na Barra Lateral coloquei o link das postagens de todos os Blogs participantes! Se o seu post estiver faltando aqui, por favor me avise!
.

..
No dia 8 de dezembro comemora-se mais um ano do nascimento de Florbela Espanca, ícone da poesia em língua portuguesa.
Seus versos expressam um erotismo e uma liberdade pioneiros na poesia do seu país.Excelente sonetista, Florbela expressa suas emoções em linguagem telúrica, de imagens fortes, impregnadas de verdade física e arrebatamento. Sua poesia caracteriza-se pela recorrência dos temas do sofrimento, da solidão, do desencanto, aliados a uma imensa ternura e a um desejo de felicidade e plenitude que só poderão ser alcançados no absoluto, no infinito.
A veemência passional da sua linguagem, marcadamente pessoal, centrada nas suas próprias frustrações e anseios, é de um sensualismo muitas vezes erótico.
Simultaneamente, a paisagem da charneca alentejana está presente em muitas das suas imagens e poemas, transbordando a convulsão interior da poetisa para a natureza.
.

Uma breve Biografia
.
Florbela d’Alma da Conceição Espanca nasceu em Vila Viçosa, no Alto Alentejo, em 8 de dezembro de 1894, a Rua do Angerino, em casa de sua mãe, Antônia da Conceição Lobo. O pai, João Maria Espanca, era casado com outra mulher mas, como deste casamento não houvesse filhos, estabeleceu uma relação com Antônia e dessa relação nasceram dois filhos: Florbela e Apeles.
.
.
Nos registros da Igreja Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa consta Florbela
como "filha ilegítima de pai incógnito". O mesmo acontecendo com seu único irmão, Apeles, nascido em 10 de março de 1897.
.
Em 1899 Florbela já freqüenta o curso primário.Data de 11 de novembro de 1903 o poema A vida e a morte – ao que tudo indica o primeiro de sua autoria. Ingressa, em 1908, no Liceu de Évora, onde permanecerá até 1912.
.
No dia de seu aniversário no ano de 1913, Florbela casa-se, no Registro Civil de Vila Viçosa, com Alberto de Jesus Silva Moutinho que havia sido seu colega de classe desde o curso primário.
.
Em abril de 1916, seleciona, dentre a sua produção poética, cerca de 30 peças produzidas a partir de maio de 1915, com as quais inaugura o projeto Trocando Olhares.
.
Em outubro de 1916, desde setembro vivendo em Lisboa e financiada pelo pai, matricula-se na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, que abandonará em meados de 1920: dentre os 347 alunos inscritos, apenas 14 são mulheres.
.
Em junho de 1919 faz publicar o Livro de Mágoas, com as dedicatórias:
.
"A meu pai. Ao meu melhor amigo." e "À querida Alma irmã da minha. Ao meu irmão."
.
Logo depois começa a trabalhar em novo projeto Livro de Soror Saudade, publicado em 1923. .
.
.
No dia 30 de abril de 1921 é assinado o divórcio de Florbela e Moutinho. Dois meses depois se casa com o alferes de artilharia da Guarda Republicana, Antônio José Marques Guimarães.
.
Em 1925 divorcia-se de Antônio Guimarães. Ainda em 1925, em Matosinhos, Florbela casa-se com Mário Pereira Lage, médico.
.
Em 1930, com poemas e contos, inicia a colaboração na recém-fundada revista Portugal Feminino, na Civilização e no Primeiro de Janeiro.
.
Em seu Diário do Último Ano, Florbela expressa o estado de solidão em que se vê mergulhada:
.
"O olhar dum bicho comove-me mais profundamente
que um olhar humano...Num grande esforço de compreensão, debruço-me,
mergulho os meus olhos nos olhos do meu cão...Ah, ter quatro patas e compreender a súplica humilde, a angustiosa ansiedade daquele olhar!...”
.
E não há de ser por acaso que Florbela se faz acompanhar de tal imagem durante esse derradeiro percurso: não é o cão mitológico o guardião da morte?
.
.
Seus versos traduzem sinais de exaustão, de desilusão e de um processo de depressão. Morre, na noite de 7 para 8 de dezembro de 1930, vítima, do efeito de barbitúricos, não se sabendo jamais se por suicídio ou por acidente, pela ingestão de dose excessiva.
.
Considerada como a figura feminina mais importante da Literatura Portuguesa, Florbela Espanca deixou poesias de uma sensibilidade exacerbada, repletas de um erotismo confessional, que deixa transparecer tendências e sentimentos opostos, flagrados como se em um diário íntimo.
. .
Segue nas pegadas dos grandes sonetistas da Língua Portuguesa, como Camões, Bocage, Antero, embora difira deles, em muitos pontos, principalmente por ser mulher, e abordar apenas o Amor, não fala “sobre o amor”, mas “do amor”, de maneira espontânea, destravada, como seiva que brota pura dos recônditos da imaginação, sem as coerções da moda ou das conveniências literárias, o que levou muitos críticos a falarem de sua obra como repleta de "don-juanismo", pelo sensualismo que desconhece grilhões, desprovido de falsos moralismos, cálido, franco, superando hipocrisias e convenções pequeno-burguesas.
.
Sensibilidade e imaginação são os pontos altos de seus momentos de criação, na melhor expressão literária, não permitindo, em momento algum, que sua obra possa se reduzir a apenas uma confidência equívoca de sentimentos mantidos secretos pelo pudor feminino. Verdade da própria experiência e fantasia unem-se para gerarem poesias de primeira grandeza como nenhuma outra representante do sexo feminino o fez, na Literatura Portuguesa.
.
. .







40 comentários:

O Profeta disse...

Esta carícia de fresca brisa
Transporta a beleza de Oriente
Uma voz doce cede ao silêncio
Esta aurora acorda finalmente

A sombra perdeu-se na luz
Escuto o pranto e o riso na bruma
Palavras fugindo ao sentido
Lembranças perdidas na espuma


Boa semana


Mágico beijo

EternaApaixonada disse...

*****

Amiga Flor,

Mesmo afastada por motivos pessoais, irei postar no dia 08 de dezembro, com grande prazer em participar dessa blogagem coletiva!
Parabéns pela iniciativa dupla: criar a blogagem e agora mantê-la em um blog que homenageia Florbela e os blogueiros.

Que tenha uma ótimo domingo e uma semana de muito amor em seu coração.

Beijos da Helô

*****

O Profeta disse...

Sou palavra perdida no silêncio
Gerada no ventre do Mar
Grinalda de perdidos sonhos
O passado do verbo amar

Amei!
Voar na chegada de cada Primavera
Pintar de luz as cores do verão
Pisei o tapete das folhas de Outono
Acendi em cada inverno uma fogueira de paixão


Convido-te ao encontro com o meu “Eu”

Bom domingo


Mágico beijo

Cris disse...

OI, Flor..

Dia 8 estarei com vocês, portugueses, ainda mais perto de mim.

Beijo

Flávia disse...

Não sabia da blogagem coletiva sobre Florbela, mas não esquecerei de passear pelos blogs nesse dia.

Beijos, moça.

Naturline disse...

Só navegando por aqui, aproveitando prá deixar um beijo e uma abraço!

REGINACELLI disse...

FLORBELA ESPANCA

http://lh3.ggpht.com/_ebDMt9vnD9k/ST3MCpCDv9I/AAAAAAAABWo/dQQwGw01B3s/s400/florbe2.png

Os versos que te fiz

Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem pra te dizer!
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim pra te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder...
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda...
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei...
E nesse beijo, Amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!

Minha homenagem a uma mulher mais sensível que uma asa de borboleta!
Minhas bjokas recheadas de carinho e um magnífico descanso.

betty mello disse...

Querida, que linda homenagem permanente à Florbela. Adorei conhecer a poetiza, você , e demais blogamigos sensíveis que participaram do evento em 8 de Dezembro. Com carinho. Betty

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Desejo que no Ano Novo que se inicia você realmente…
Ouça as palavras que sempre desejou ouvir .
Pronuncie as frases que um dia desejou repetir.
Sinta a emoção que sempre esperou sentir.
Caminhe pelos trilhos que um dia desejou seguir.
Divida o carinho com quem sempre desejou repartir.
Abrace todos os amigos que sempre desejou reunir,
Que Deus lhes abençoe mais e mais...
Que só rolem lágrimas de amor e felicidade em sua face...
FELIZ 2009

~PakKaramu~ disse...

Happy new year to you

Cadinho RoCo disse...

Florbela Espanca é fortíssima.
Cadinho RoCo

Carla Silva e Cunha disse...

Adorei
Bom domingo
Beijinhos
Carla

disse...

Fiquei extasiada ao encontrar esse espaço!!! Amo tudo que vem dela (Florbela) e agradeço pela iniciativa!!! Parabéns, já estou seguindo... bjssssssss

manzas disse...

Provei o fel sabor de uma outra vida
Nas ruas desnudadas, lotes incertos do sem andar…
Caminhei pelos desertos secos de alma perdida
Entrando pela porta em que ninguém quer entrar

Passando para dizer,
Que me apraz aqui estar…
Que nesta sexta-feira treze,
Aconteça o que acontecer
Um bom fim-de-semana irá ser
E que o amor e paz possa reinar!

O eterno abraço…

-MANZAS-

entrelinhas. disse...

Lindo, ha que reconhecer elementos importantes do que somos hoje.
beijo,
sara

Vinicius disse...

Bom dia.Vim dar uma "espiada" nas novidades.Tens muitos blogs bonitos,já dei uma olhada em alguns,e com certeza visitarei a todos. Como esse da Florbela Espanca,que foi uma grande poetisa. E inclusive tenho um livro de bolso de poesias dela, que já li todo e gostei muito.
Bem tenhas um ótimo fim de semana de muita poesia:O)
Abraço.

Mírian Mondon disse...

Oi Flor :)

Tem um COMUNICADO URGENTE no meu blog! Avise seus amigos, estou tentando avisar a todos que me acompanham!

Abraços

Úrsula Avner disse...

Olá Juli, amo as poesias de Florbela Espanca e já ouvi alguns colegas dizerem que minhas poesias se parecem com as dela, num estilo de escrita semelhante. De fato, eu gosto da melancolia e singeleza na poesia e é o que vejo nas obras da Florbela, marcadas pelas intensas características de sua vida. Quanto a mim, escrevo com a alma, derramando nas letras o que em mim habita ou o que eu invento. Quando puder visite meu blog e o site
http://www.ursulaavner.com
Um abraço.

ŁǺи¥ disse...

Grande Florbela!! =)

Abraço

jorge@ntunes disse...

foi através de Florbela que despertei para a poesia...
foi com ela que chorei escrevendo os meus primeiros e imaturos versos...
a ela devo a coragem de já não ter medo de chorar o que sinto...

Jeany disse...

Ficou MUITO bom esse site...bem legal..informativo MESMO!!!

Espero uma visitinha, querida!

Beijão, Jê

Gerana Damulakis disse...

A que não queria um homem, mas um deus. Grande Florbela. Já escrevi muito sobre a poesia de Florbela Espanca, tanto em jornal, quanto em livro. Sempre volto para seus poemas.
Belíssima postagem!

Silvana Nunes .'. disse...

Navegando sem ruma com a intenção de divulgar o meu blog, cheguei até você e gostei do que vi, tanto que pretendo voltar mais vezes. No momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da tela do computador está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar cuidado. Em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Se gostar, siga-me.
Por hoje fico por aqui, Espero nos tornarmos bons amigos.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre.
Saudações Florestais !

Sonia Schmorantz disse...

Lindo post, sou uma admiradora também da Florbela!
beijo, ótimo fim de semana

A Magia da Noite disse...

fantástica homenagem a uma mulher da minha terra.

A Magia da Noite disse...

Belíssima homenagem à minha conterrânea.

APC disse...

Florbela!!! Tão intensamente sensível!
BOas festas, amiga e, obrigado por tê-la trazido aqui.

Chris disse...

Espaços assim são um prazer visitar, como a Vila Viçosa que viu nascer a poetisa.
Gostei deste interlúdio...
Um abraço
Chris

Silvana Nunes .'. disse...

"Feliz aquele que transfere o que sabe, e aprende o que ensina."
Cora Coralina

ESPERANÇA

"Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenes
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
- ó delicioso vôo!
Será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança ...
E em torno dela indagará o povo:
- Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:

- O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA ...."

(Mário Quintana)

FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... está aqui para desejar para você um ano de 2010 de muita LUZ. Que nele você consiga realizar alguns de seus mais importantes propósitos.
E que DEUS ÑANDE RU continue nos abemçoando COM A SUA ETERNA MISERICÓRDIA pelo resto de nossas vidas. Agradeço sua presença em meu blog durante o ano de 2009 com seus comentários sempre muito carinhosos e relevantes. E como já é tradição em nossa cultura trago algimas simpatias para entrar o ano de bem com ele. BOA SORTE.
QUE SEJAMOS FELIZES.
FELIZ ANO NOVO ! QUE OS BONS VENTOS SOPREM SEMPRE A SEU FAVOR EM 2010 !
Saudações Florestais !
http://www.silnunesprof.blogspot.com

Primeira Pessoa disse...

adorei esse canteiro, onde você plantou florbela.
sou fã dela, das coisas dela, da história dela.
voltarei muito ao seu blog, para aprender coisas que ainda não sei.
abração do
roberto.

legalmente loira... disse...

sou fã de florbela.
intensa.
descreve lindamente.
lindo blog.
beijos.

Silvana Nunes .'. disse...

Eu adoro esse lugar aqui.
Beijo grande, amiga.

ƸӁƷBeautiful Butterfly WomanƸӁƷ disse...

"AMIGA BELA HOMENAGEM A NOSSA POETISA MARAVILHOSA QUE FOI FLORBELA ESPANCA!!!ELA ERA MARAVILHOSAAAAAAAA!!!!!!!!!A HOMENAGEM FAZ JUS A ALTURA DELA.AMEIIII!!!"

Helô Strega disse...

Nossa que excelente espaço de informações sobre Florbela Espanca.
Adorei!
Beijinhos

Alê disse...

Adoro Florbela!
Existe uma identificação enorme com as palavras que ela escreveu e fatos da minha.
Adorei saber desse blog, parabéns!

Sandra disse...

Temos uma amiga em comum..
Então venha ver.
Lhe convido para ver quem está comigo aqui.
É um prazer te receber neste cantinho. Venha dar uma olhadinha. Tenho certeza que vai gostar.
http://sandraandradeendy.blogspot.com/
Carinhosamente, vou te esperar. Aqui grandes amigos se encontram e se revelam. Carinhosamente,
Sandra.

Amigos são flores plantadas com muito carinho.

REGGINA MOON disse...

Flor querida!!

"Que a mensagem de fé e esperança do Natal renove nossas forças para continuar lutando no Ano Novo que anuncia."

FELIZ NATAL!!!

Beijos!!!

Reggina Moon

Anônimo disse...

leggere l'intero blog, pretty good

Jefhcardoso disse...

Olá, Flor! Prazer estar aqui! E foi ótimo ler sua postagem sobre Florbela. Ela é uma autora que ainda preciso descobrir. E como preciso! Abraço!

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Convido-te para que leia e comente http://jefhcardoso.blogspot.com

sagitario disse...

quando visito Vila Viçosa, terra onde nasceu e viveu Florbela, parece que ela ainda continua lá e sentimos o cheiro dos lirios em todo o lado, em todas as ruas.
Por isso Florbela continua bem viva nos nossos corações.

Aconselho todos os que ainda não visitaram a cidade que vão lá só lá nos sentimos mais perto da grande poeta.